Queda Livre

Queda Livre

Leia abaixo três dos poemas de "Queda Livre", de Ezio Edward Bisson:

 

GRÃO MUTÁVEL

O sol
Faz da lagoa, lama
O sol
Faz da lama uma poeira seca.
O sol
A lagoa
A lama
Uma poeira seca.
A chuva
Faz da poeira, lama
A chuva
Faz da lama uma lagoa cheia.
A chuva
A poeira
A lama
Uma lagoa cheia.
O tempo
Faz da lagoa um mundo
O mundo traz para a lagoa,
A vida.
A lagoa
O tempo
O mundo
A vida.
O amor
Faz da vida um mistério
O mistério faz do amor
O sentido.

A vida

O amor

O mistério
O sentido.
O sol
Também nutre a lagoa
E a chuva pode ceifar uma vida
O amor quando é puro mistério,
Faz do tempo poeira na brisa.
Essa poeira que voa com a brisa
Já foi lama, lagoa e estrela
É testemunha dos primórdios da vida,
É o átomo criador das belezas.
Mutável como as fases da lua
Minguante, crescente e cheia
A poeira, a lama e a lagoa
Tudo preso pela mesma teia.
Tecida pela dança dos átomos,
Pelo mistério que os agrupou
Amar é acordar de um sonho
Sem lembrar do sonho que sonhou.
O sol
A chuva
A poeira...
A vida
O mistério
O amor...
Acordar no meio de um sonho
Sem lembrar do sonho que sonhou.

 

***

NO PRINCÍPIO SÓ HAVIA FÚRIA

A lança perdida encontrou meu fígado
Se esvai a razão, o amor e o que se sonhou
De trás para frente, em epílogo, revivo
Ela carregava a resina febril do kambô.
Crenças de etérea felicidade, agora efêmeras,
Colidem como corpos astrais ambíguos
Big Bang epifânico que dá luz às trevas,
Gênese caótica de mundos perdidos.
Universo forjado na lava fria das misérias
Evolução moldada pela genética do conflito
A microscópica engenharia das cianobactérias,
Oxigenam meus oceanos ainda primitivos.
E, se faço uso desregrado da prosopopeia,
É para que sintas o peso do que tenho sentido
Do sofrimento em romper nossa pangeia,
Surgem continentes que flutuam entristecidos.
Atmosfera densa de intensa carga elétrica,
Somos os átomos da fúria e da paixão
Produzindo fabulosas ondas térmicas,
Quando nossos corpos labaredam em colisão.

 

***

 

EXALTAÇÃO À DEUSA
Qual mistério carrega teu corpo?
Que perfume é esse que exala tua alma?
Presença que me consome em fogo,
Aroma que me incendeia a calma.
Selvagem, és a Senhora das trevas,
Em tuas veias corre a fúria e a lava
O paradoxo de querer sua entrega,
Mesmo quando tua fera me afasta.
Diaba de 6 lábios ardentes,
Profanos como o próprio diabo
Que minha língua seja, a ti, um presente
Que teu gozo sempre escorra em meu falo.
Proclamo seu reinado orgástico
Construindo um altar indecente,
Onde seus fluidos têm poderes mágicos
E o dízimo é o calor do meu sêmen.
A cruz se encontra vazia,
Deu lugar à minha ereção
O hinário é o nosso gemido,
Dentro de ti eu encontro o perdão.
Nosso culto atormenta a cidade
Com cânticos de louvor ao pecado
Da luxúria tu és divindade,
No teu sexo eu fui batizado.

 

  • Informações do produto:

    Capa comum: 64 páginas

    Formato 14x21

    Editora Libertinagem 1ª edição

    São Paulo, 2022

  • Sobre o autor

    Ezio Edward Bisson nasceu em Sertãozinho, interior de São Paulo, onde morou até ingressar no
    curso de comunicação social da Universidade Metodista de Piracicaba. Ao concluir a formação
    acadêmica, iniciou sua vida profissional no mercado audiovisual e morou em diversos estados
    do Brasil como: Amazonas, Rio Grande do Sul e Mato Grosso até retornar para São Paulo.
    “Queda Livre”, seu primeiro livro, é marcado por um intenso jogo de palavras que nos
    transporta para cenários com forte apelo narrativo e visual.

R$ 40,00Preço