Maria Lúcia: uma saga de guardanapo

Maria Lúcia: uma saga de guardanapo

Leia abaixo 3 poemas de Maria Lúcia: uma saga de guardanapo, de Tainá Medina:

 

Isto não é uma propaganda de cigarro 

 

 

 

tenho fumado em desespero
e tudo feito em desespero
tem efeitos muito mais perversos

 

***

 

Vinho barato


Se te visse 
de longe 
De papel e caneta na mão
Meio desengonçada


Gritaria
"Trégua!"
Com a boca roxa de vinho

Você me perguntaria "por que?"
Eu alegaria sobriedade
ameaçando te amar violentamente, 
Jogar toda a minha paixão e fúria 
na tua cara
até jorrar sangue, 
você suplicaria insanidade

E eu diria
- com uma faca cega entre os dentes - 
que nosso amor é suicida
que preciso matá-lo antes que 
seja tarde demais
para lhe dar um beijo
e dizer que foi para sempre

***

 

O tal do sangue sagrado

 

Existe esse fenômeno,
quando se menstrua,
da compressão 
de alguns órgãos
que não deveriam estar existindo
tão esmagados carajo! - gritou em outra língua 
por ter esquecido
qual língua era a sua - quanta dor !
que faz com que Maria queira peidar 
o tempo inteiro
ela não compreende o fato
contempla o seu corpo como 
um mistério gasoso
ela não compartilha isso com a sociedade.
 

  • Sobre a autora

    Tainá Medina é uma atriz e cineasta brasileira, nascida no Méier em 1993. Cresceu na zona norte do Rio de Janeiro e desde a infância utiliza a escrita como portal para realidades fantásticas. Durante o carnaval de 2019 descobre Maria Lúcia, seu alterego, com a qual passa a escrever de forma ácida, poesias em prosa, misturando banalidades do dia a dia, crises existenciais e reflexões acerca do mundo. Maria Lúcia, uma saga de guardanapo é seu livro de estreia.

  • Informações do produto

    Capa comum: 64 páginas

    Formato: 14cm x 21cm

    Editora Libertinagem: 1ª edição.

    São Paulo, 2021

R$ 40,00Preço