A menina do circo

A menina do circo

Leia abaixo o primeiro poema de A menina do circo: 

 

UM CORPO

 

nos trilhos do trem

Já parou pra pensar na metafísica da cidade?

Deus, Alma, você,

Tudo tem metafísica

Quando você chega num lugar, sente arrepios? felicidade?

tristeza?

Minha cidade tinha essa metafísica

As pessoas pareciam felizes

Aos olhos dos desavisados, parecia uma cidade pacata do interior de São Paulo.

Algo macabro, entre o sol e a lua na fumaça que jorrava da chaminé no ar entre meia noite e duas da manhã

um cheiro de xarope cítrico, putrefato.

Assim como corpos com auras que exalam cheiros que aproximam ou repelem, minha cidade repelia.

Senti aquele cheiro por muitos anos, até ir pra faculdade.

Meu corpo sentia que não cabia e me fui

estudar na cidade grande

Sempre retornava pra ver a mãe e o Sabiá.

Depois de pegar o ônibus

Rodar por horas, aguentando o mal cheiro perto dos bancos detrás,

encontrei minha mãe me esperando no portão com Sabiá. 

Um passarinho adestrado

ainda pequeno tinha caído de um ninho e sido deixado pra trás pela senhora sua mãe.

Solto no quintal, deixávamos

mamão,

arroz

e pão.

Não tinha porque Sabiá fugir.

Na minha ausência, a mãe cuidava do bicho

Demorei muito tempo pra voltar

Vim pro Natal

A mãe e o Sabiá me esperava no portão

Sabiá logo me viu voou até minha cabeça.

Nos abraçamos todos.

Como era cedo, depois de horas, uma mesa com café,

pão

e bolo

me esperava para comer.

Televisão ligada de costume nos jornais matinais de sangue pra todo lado

um corpo enrolado

no arame farpado

encontrado na linha de trem

estirado

ensaguendo

calcinha arriada

parecia uma menina

sem nome

identificação

uma qualquer

corpo

peito

bunda

estirada no chão

na linha do trem

Parou

o motorista achou que fosse um bicho

ficou com pena

disse que ela devia ter feito algo

estirada

calçinha arriada

vítima ensanguentada

vai saber!

  • Sobre a autora

    Formada em Cinema (UFF) e em Ciências Sociais (Unesp), a autora tem uma trajetória diversa dentro de projetos do Audiovisual. Entre 2011 e 2015 dirigiu e roteirizou 80 mini documentários para a Light e alguns documentários com projetos da Petrobras. Para o Cinema realizou o curta “Jogos, Cigarros e Azar” (2005), “Ode a Gentileza” (2002) e “Fio de Memória” (2003). Foi Produtora Executiva do curta “O Labirinto” (2005). Entre 2003 e 2007 foi Assistente de Produção do Festival Cinesul. Em 2020 foi selecionada para o Laboratório de Desenvolvimento de Projetos de Documentário da Cisco/ICine com o projeto “Refúgio”. Em 2021 decidiu tirar alguns projetos da gaveta e transformá-los em livros. Assim nasceu seu primeiro livro “A menina do circo”. 

  • Informações do produto

    Capa comum: 64 páginas

    Formato: 14cm x 21cm

    Editora Libertinagem: 1ª Edição

    São Paulo, 2021

R$ 40,00Preço